Categoria: Sem categoria

Toronto's City Hall, Nathan Phillips Square. (Shutterstock)

Apenas mais um de intercâmbio

Quando as meninas me pediram para fazer um texto sobre minha experiência de intercâmbio no Canadá assim que voltei, empolgada que estava, topei logo de cara. Mas, indecisa que sou, fiquei em dúvida sobre qual linha seguir.

Primeiro, pensei em fazer as clássicas dicas de viagem. Uma lista dos pontos turísticos, lugares onde comer e o básico de como se comportar. Comecei enumerando todos os locais que gostei de visitar, dos óbvios, até os que (eu imaginava) não eram tão óbvios assim. Claro que a lista ficou enorme e não consegui escolher o que eliminar. E, pensando bem, a gente encontra essas dicas fazendo uma pesquisa no Google.

Então, passei para as próximas ideias. Talvez eu poderia contar o porquê escolhi o Canadá, mais especificamente Toronto, e sobre o processo dessa escolha. Mas, um monte de gente já fez isso e, está lá, no Google.

E se eu fizer uma lista do porque é importante fazer um intercâmbio? Google. Mas se for uma lista do que eu aprendi fazendo um intercâmbio? Ok, mais pessoal, mas já não tem um monte de blog falando sobre esses mesmos aprendizados no Google?

Ah, já sei, e se eu falar sobre o meu crescimento pessoal, como isso me ensinou sobre tolerância, respeito e sobre como nossas crenças condicionam nossa visão de mundo? Isso! Esse seria o caminho. E foi. Até metade.

Depois de todas as tentativas e textos não finalizados, cheguei à conclusão de que provavelmente nada do que eu escreva vai ser necessariamente uma novidade.

Quem nunca decidiu fazer um intercâmbio para sair da zona de conforto? Porque queria viver uma experiência nova, diferente? E quem desses que se arriscaram não sentiu medo e aquele frio na barriga, justamente porque seria tudo diferente do que estava acostumado? E quem não achou que estava fazendo alguma coisa pela primeira vez no mundo, mas que na verdade já foi feita outras tantas?

É, a vida se repete e a gente segue reinventando a roda…

Quem sabe já não existiu quem tivesse ido com a amiga na praia para curtir a paisagem e o clima de tranquilidade e as duas dormiram sentadas na cadeira, enquanto as mochilas ficaram de lado com os pertences, incluindo carteira e celular, num país estrangeiro?

toronto2

Ou quem não foi naquela ponte, porque o amigo sugeriu que era um lugar legal pelas fotos que viu e descobriu que ela é bem menor do que imaginavam? E quem não viveu a experiência de dividir o Uber (troque por táxi, se quiser) com três mexicanos malucos que renderam um dos principais jargões da turma durante a viagem?

Quem não fez um amigo que foi “expulso” de casa depois que o contrato da homestay acabou? Ou não ouviu a professora ficar surpresa quando descobriu que uma galinha não é um mamífero?

Quem não se lembra de ficar especulando com o pessoal que conheceu na excursão sobre os motivos daquele cara figura ter ido com a mãe?  Ou daquele dia que ficou até tarde sentado com os amigos no parque em frente de casa só curtindo a companhia, porque estava chegando a hora de ir embora?

Se você se identificou com uma dessas histórias pode não ter sido mera coincidência. Mas, se não, certamente se lembrou de algum momento na sua vida digno de ser contado.

Sim, os personagens podem ter sido outros, a sequência dos fatos com certeza não foi igual e, claro, o olhar de cada um que vive uma experiência, por mais comum que seja, faz com que ela seja única.

O importante é que de tudo, sobram essas histórias para contar, que você vai compartilhar com sua família, seus amigos, colegas de trabalho. Essas histórias que vão te deixar com uma imensa saudade e que talvez você nunca se canse de lembrar e repetir, mesmo que te digam “para que tá feio’”.

Diferente dos outros, eu termino esse texto para dizer que a vida é, sim, feita dos grandes acontecimentos – a viagem, o intercâmbio, a faculdade, a festa de formatura, etc. – mas a grande beleza mesmo está nas pequenas coisas que acontecem no meio disso. Clichê? Sim, só que agora ele é mais um nesse imenso oceano chamado Google.

South-Africa-Landscape

Dicas de viagem: África do Sul

Nota do Aqui é Cultura: Viajar é, sem sombra de dúvidas, uma das melhores coisas da vida. Convidamos a querida Roberta Leroy para escrever sobre viagens e roteiros, afinal ela é Bacharel em Turismo e é sócia diretora na Leroy Viagens. Em um primeiro texto, ela nos conta sobre sua experiência na África do Sul. Confira:

   Em nossa experiência na África, descobrimos safáris, atrativos turísticos incríveis, roteiros, hotéis e vinhos incríveis, que é a perfeita combinação para lua de mel.

   Começamos o nosso roteiro pelos safáris, no Kruger National Park, mas lembre-se sempre que existem outras opções para vários gostos. Vale a pena saber cada detalhe de cada opção para saber o que realmente você deseja. Os lodges (pousadas) de selva variam entre simples a luxuosos, por isso é muito importante identificar os detalhes de cada um.

   Próximo à Johannesburg também existem opções de passar o dia em reservas privadas de leões e elefantes. Nós escolhemos a dos leões e foi simplesmente incrível! Interagimos com os bebês, adolescentes e adultos, foi uma experiência única para a vida.

   Você entra na reserva e visita os leões por alas. Os bebês são o sonho de qualquer um que gosta dos felinos, eles parecem gatinhos com patas grandes!! Na ala dos adolescentes você anda e interage com eles, e ao mesmo tempo bate um medo que você, simplesmente, acha o máximo. Também fizemos uma caminhada com os adultos, e é preciso ter espírito de aventura e coragem. Tudo isso com acompanhamento do guia, que explica todas as regras e, além disso, na chagada, a dona da propriedade explica tudo, desde como surgiu a reserva até como eles cuidam dos animais.

Ukutula
Ukutula – Safári com os Leões – Imagem por Roberta Leroy

   Dependendo da rota e do safári que você escolher, vale a pena passar por Pretória, e ver a estátua de bronze do ex-presidente da Africa do Sul, Nelson Mandela, com nove metros de altura.

   A cidade de Cape Town é uma grande atração por várias razões: cultura, noite, gastronomia, maravilhas da natureza e as praias. A atração mais procurada é a Table Mountain. Existem opções incríveis de hotéis para sugerir de acordo com o perfil de cada um. Desde hotéis próximos à agitada Long Street, até Water Front e Green Point, que são regiões bem interessantes também.

Table Mountain
Table Mountain – Imagem por Roberta Leroy

   Uma ênfase à região de Waterfront é importante, pois, além de uma vista linda e de um shopping incrível, a região tem um mercado “fofo”, que para os amantes de mercados como eu, foi uma das coisas mais legais que visitei!

   Cabo da Boa Esperança, que faz parte da nossa história, também tem um visual incrível, e, como a Boulders Beach (a linda praia dos pinguins), são lugares que precisam ser visitados. Se tiver mais tempo, também vale a pena conhecer o presídio onde Nelson Mandela ficou preso durante 18 anos. A história é fantástica.

Boulders Beach
Boulders Beach – Imagem por Roberta Leroy

   Franschhoek e Stellenbosh são cidades pequenas, próximas à Cape Town, onde existem muitas vinícolas. É uma região linda com restaurantes deliciosos e românticos! Ressalto que é muito importante a questão da logística nestes locais para aproveitar melhor o tempo.

   Se você tem mais dias disponíveis para esticar um pouco a viagem, fica perfeito gastar esse tempo na “Garden Route”, sabendo conjugar cada uma das cidades com base em seus atrativos e preferências.

   Sobre a gastronomia: É muito interessante! Se você gosta de experimentar sabores diferentes, você vai voltar com muitas experiências legais.

   Sem dúvida a África do Sul foi um destino que se destacou bastante entre as minhas experiências de viagens.

Acesse: leroyviagens.com.br / roberta@leroyviagens.com.br

bem vindos

Bem vindos!

A partir de hoje iniciamos um novo capítulo em nossas vidas. O sonho de escrever e compartilhar os nossos pensamentos, sentimentos e desejos está se concretizando.

    O blog “Aqui é Cultura” é o fruto desse sonho. E como dizem por aí “sonho que se sonha junto é realidade”, então temos um desejo ainda maior: que esse espaço possa ser compartilhado junto a todos. Por isso desejamos que o blog possa servir para interagirmos com vocês leitores, pois somente assim fará sentido.

    O blog é de autoria nossa juntamente à contribuição de amigos, familiares e colegas e é feito com muito carinho. Desejamos ingressar nessa jornada juntos. Então, nós os convidamos a questionar, refletir, criticar, sugerir…

     Sigam-nos também nas outras redes sociais: Facebook, Instagram e Twitter.

Bem vindos!

Laura e Natalia.

Fonte foto: @sezyilmaz